fbpx

Corey Taylor contradiz Machine Gun Kelly e prova que o artista estava entusiasmado em trabalhar com ele

corey-taylor-contradiz-machine-gun-kelly-e-prova-que-o-artista-estava-entusiasmado-em-trabalhar-com-ele

No último fim de semana, 19, o festival Riot Fest recebeu Machine Gun Kelly e Slipknot como duas de suas atrações principais – oportunidade que o rapper aproveitou para jogar uma indireta para a banda, dizendo estar feliz por não “usar máscaras esquisitas no palco aos 50 anos de idade”.

Mais tarde, Gun Kelly usou seu perfil no Twitter para falar mais sobre o ocorrido, dizendo que Corey Taylor teria gravado um verso para seu álbum de pop rock, Tickets To My Downfall, mas que “era ruim pra caralho, então eu não usei”, o que ele acredita que teria deixado Taylor “amargurado” a ponto de “falar merda” sobre o disco em questão para uma revista.

Para esclarecer a questão de uma vez por todas, o vocalista do Slipknot usou seu próprio perfil no Twitter para responder às provocações de Gun Kelly, escrevendo: “Não gosto de pessoas espalhando questões privadas como uma criança, então isso é tudo que tenho a dizer: não participei da faixa porque não gosto quando as pessoas tentam ‘escrever’ pra mim. EU disse NÃO a ELES. Então, sem mais delongas… #provas.”

A prova em questão foi o print de um e-mail que Taylor recebeu do baterista e co-produtor do álbum, Travis Barker, após Corey enviar o trecho que tinha gravado para a canção “can’t look back”. No envio, Barker copia uma mensagem de texto que o próprio Gun Kelly escreveu, afirmando estar “animado e honrado” com a participação de Taylor, e que achava que o cantor tinha “arrebentado”. O rapper também diz ter adicionado um verso para Corey regravar, mas que ele “obviamente tinha o direito de dizer foda-se” para as alterações, e finaliza o texto dizendo que “ele é o cara”.

Em retorno ao e-mail enviado por Travis, Corey respondeu que tinha ouvido as ideias de Gun Kelly, mas que achava não ser “o cara certo para a faixa”. Ele ainda demonstra apoio ao músico e diz não ser “nada pessoal”, além de reforçar que “está tudo bem e eu estou muito animado por ele”, finalizando a conversa ao dizer que gostaria de ser contatado caso pudesse “ajudá-lo de qualquer forma”.

A versão final de “can’t look back” entrou para o disco Tickets To My Downfall como uma faixa-bônus na versão deluxe do projeto, não contendo nenhum feat. adicional. Supostamente, o que fez Machine Gun Kelly reviver o momento constrangedor foi um comentário feito por Corey Taylor em fevereiro, onde o cantor disse odiar “todos os artistas que falharam em um gênero e foram para o rock”, o que Gun Kelly teria interpretado como dito sobre ele.

corey did a verse for a song on tickets to my downfall album, it was fucking terrible, so i didn’t use it.

he got mad about it, and talked shit to a magazine about the same album he was almost on.

yalls stories are all off.

just admit he’s bitter.

— blonde don (@machinegunkelly) September 20, 2021

I don’t like people airing private shit like a child. So this is all I’ll say: I didn’t do the track because I don’t like when people try to ‘write’ for me. I said NO to THEM. So without further ado…. #receipts

This is all I’m going to say about it. pic.twitter.com/pkhweg1Ptn

— SHRED DJENT REDEMPTION (@CoreyTaylorRock) September 20, 2021

LEIA TAMBÉM: 5 brigas de Axl Rose: Kurt Cobain, David Bowie, boate brasileira e fãs

Fonte original: Wikimetal

-12%
R$149,90

Em até 3x de R$49,97 s/ juros

-12%
R$149,90

Em até 3x de R$49,97 s/ juros

-10%
R$89,90

Em até 3x de R$29,97 s/ juros

-12%
R$149,90

Em até 3x de R$49,97 s/ juros

-12%
R$149,90

Em até 3x de R$49,97 s/ juros

-10%
R$89,90

Em até 3x de R$29,97 s/ juros

-12%
R$149,90

Em até 3x de R$49,97 s/ juros

-12%
R$149,90

Em até 3x de R$49,97 s/ juros

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.